segunda-feira, 26 de dezembro de 2011


Vamos dançando ao som de corações partidos, em busca de um Par. O par ideal, o par que te fará esquecer outros pares, o par que talvez te complete por um ou dois meses, ou quem sabe, te complete pela vida inteira. E é ao som dessa melodia caótica, que dançam todos os amaldiçoados pelo desamor. Dançam como se o mundo fosse acabar amanhã, como se nada mais importasse do que aquela canção que os acalma a alma, torcendo solitários para que seu par apareça e o chame para dançar a última música antes da festa terminar. 
                                     (paulagrando)

domingo, 27 de novembro de 2011

E nesse mundo de frases feitas eu vou me encaixando. 
                                           (paulagrando)

quinta-feira, 3 de novembro de 2011


Caio Fernando de Abreu disse: “Engole teu coração e se ama por dentro.” E é isso que eu estou fazendo, me amando por dentro, amando cada pedacinho de mim. Amor próprio não dói tanto quanto eu pensei que doeria e até que o mundo é bem mais bonito visto daqui de dentro.
                                            (paulagrando)

segunda-feira, 10 de outubro de 2011



Hoje eu avistei de longe uma garota, que me pareceu insegura, mas ao mesmo tempo mostrava ter certeza sobre tudo. Provavelmente ela não sabe um terço das coisas desse mundo, mas com lápis e papel é capaz de desvendá-lo.
Através do seu olhar, é possível descobrir tudo o que se passa dentro daquela pequena sonhadora, que de tanto se achar corajosa, percebeu que tem medo de tudo; que não sabe mais o que é ou o que ser. Está passando por uma metamorfose e já não tem tanta certeza se ainda é criança ou se já virou mulher, sem ao mesmo perceber, o que lhe resta é vagar por ai atrás de resposta para esses turbilhões de idéias que enchem sua mente todos os dias.
Ela quer envelhecer logo, porém não quer perder a delicadeza e a leveza que se tem enquanto é jovem. Ela almeja ser independente, mas não sabe viver longe das pessoas que ama. Ela sonha todos os dias com o amor, mesmo sem saber direito o que é isso, ela sonha e deseja o melhor dele. Mal sabia eu que essa menina que via de longe, era apenas o reflexo do meu ser, de cara e alma lavada, no espelho do meu quarto bagunçado. 
                                                             (paulagrando)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011



Cansei dessa vida de migalhas, de me doar muito e aceitar pouco; cansei viver coisas pela metade; cansei de ser apenas um capítulo da vida das pessoas, enquanto eu gostaria de fazer parte do livro inteiro. Não quero coisas pela metade, pessoas pela metade, sonhos pela metade, sentimentos pela metade.
É impossível viver aceitando apenas pedaços de um alguém, quando o que se almeja é possuí-lo por inteiro. Não sou um pássaro e não me satisfaço com migalhas, preciso do inteiro para poder me sentir completa.
                                             (paulagrando)

quarta-feira, 21 de setembro de 2011


E mais uma vez acabo no mesmo quarto, desenhando em minha mente contornos de um futuro incerto. Fujo de um presente conturbado e vou direto ao mundo dos sonhos, me apoiando em paredes, não tão seguras assim, me apoiando em desejos, fantasia e até mesmo algumas ilusões. Eu só quero que isso dê certo, quero que esse negocio que chamam de vida, dê certo no final.
                                       (paulagrando)

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Ando precisando de um  novo amor. Só que dessa vez um amor real, deu de faz de conta!
              (paulagrando)

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Sonhos


Para a ciência: é uma experiência de imaginação do inconsciente durante nosso período de sono.
Para a religião: o sonho é uma expansão da consciência revestido de poderes premonitórios.
Para mim: Uma forma de me esconder das feiúras desse mundo sem cor.
                                                           (paulagrando)

quarta-feira, 31 de agosto de 2011



Eu tenho medo que todo esse ódio que eu juro ao mundo sentir, seja apenas mais uma das invenções da minha cabeça, alguma invenção para abafar um grande amor ou a falta de um. 
                                                    (paulagrando)

segunda-feira, 22 de agosto de 2011



Faz tempo que não rezo mais pedindo a Deus pela sua proteção, agora ando olhando para o céu e pedindo pela minha, “me proteja dessa gente que não sabe amar...”
Eu ando precisando me recompor, preciso me livrar dessas lágrimas que insistem em encontrar meus lábios, preciso dar um jeito de mandar embora toda essa dor que ando carregando dentro do meu peito. E no meio desse turbilhão de sentimentos, anda cada vez mais difícil conseguir separar quem é bonito ou feio de alma, não consigo saber quem ama de quem finge amar, na verdade acho que nunca consegui saber quem é quem nesse mundo, só torço para encontrar alguém de verdade no meio dessa merda toda. E que merda que se tornou o amar, o amar dói, machuca e nos corrói, podem me dizer que o amor é lindo, o amor é isso e mais aquilo, que o amor te deixa nas nuvens (se bem que pelo tamanho do meu tombo eu deveria estar nas nuvens mesmo). Eu imploro para vocês só entreguem seus corações para quem for de verdade, porque dar seu coração a alguém que não sabe amar é suicídio.
                                                                        (paulagrando)

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

A louca do jardim



Pra onde vai o amor? De manhã eu preciso buscar um remédio pra minha mãe, depois tenho pilates e às 11 em ponto preciso estar na agência pra decidir um roteiro de vídeo para uma apresentação interna que o cliente vai fazer para a área comercial. Pra onde vai o amor? Quero aparecer na sua agência, subir as escadas correndo porque essa pergunta precisa ser feita de peito ofegante. Pra onde vai o amor? Você tem a apresentação de uma concorrência. E tem uma equipe, uma mesa, um lixo, um carro alto, um cabelo grande, um sobrenome importante, um quadro caro, uma ex namorada top model, dezenas de garotinhas apaixonadas. Pra onde vai o amor? Porque quando deitamos no chão da sua sala e você me perguntou "quanto tempo você demora pra dizer que ama?". Porque quando você me mandou aquele e-mail falando que dormiu bem quando me conheceu. Porque a gente estava tão nervoso no dia do Astor, Subastor. Porque eu tinha uma escova de dentes aí e você tinha uma escova de dentes aqui. Pra onde vai o amor? O que você fez com o seu? Deu descarga? O que eu faço com o meu? Dai eu te ligo, escondida no jardim da agência que eu trabalho. Chorando horrores. E te peço desculpas. "Eu sei que faz só um mês que estamos juntos, mas o que você fez com o nosso amor?". Por que você ficou frio e sumiu e esqueceu e secou e matou e deletou e resolveu e foi? E você diz que está trabalhando e eu me sinto idiota. Me sinto esfolada viva pelo mundo. Me sinto enganada por anjos. Me sinto inteira uma enganação. Respiro mentiras. Visto desculpas. Ajo disfarces. Porque a gente estava sim se amando mas você correu pra levantar antes a bandeira do "se fudeu trouxa, o amor não existe". Justo você que eu escolhi pra fugir comigo das feiúras do mundo. Porque você me emprestava a mão dormindo e pedia colo vendo tv e queria me fazer camarões fritos e escondia as meias suadas quando eu chegava antes do que você esperava. E você me perguntava o tempo todo se eu percebia como era legal a gente. E então, só pra fazer parte da merda universal de toda a bosta da vida, você se bandeou pro lado do impossível e se foi e me deixou como louca, escondida no jardim da agência, chorando, te perguntando pra onde foi o amor. E você riu e disse "mas eu só estou fazendo minhas coisas". E eu me senti idiota e louca e chata e isso foi muito cruel ainda que seja tão normal. Normal não me serve não encaixa não acalma. E eu achei que a gente podia ter uma bolha nossa pra ser louco e improvável e protegido do lugar comum do mundo mediano adulto das pessoas que riem e fazem suas coisas. E tudo ficou feio, até você que é lindo ficou feio. E eu quis me fazer cortes. Porque viver é difícil demais. E todo mundo me olhando, rindo, fazendo suas coisas. E daqui a pouco eu rindo e fazendo minhas coisas. E no fundo, abafado, dolorido, retraído, medicado, maduro, podre: onde está o amor? Onde ele vai parar? Onde ele deixou de nascer? Onde ele morreu sem ser? Por que eu sigo fazendo de conta que é isso. As pessoas seguem fazendo de conta que é isso. E por dentro, mais em alguns, quase nada em outros, ainda grita a pergunta. O mundo inteiro está embaixo agora do seu lindo e refinado e chique e rico prédio empresarial de milionários. Gritando nas janelas, batendo nas portas, tirando você da sua reunião: o que você fez com o amor? Esse dinheiro todo, essa responsabilidade toda, esses milhões todos, essas pessoas todas que você quer que te achem um homem. E o amor, o que você fez com ele? Enfiou no cu? Colocou na máquina de picar papel? Reaproveitou a folha pra escrever atrás? Reciclou? Remarcou pra daqui dois anos? Cancelou? Reagendou o amor? Demitiu o amor? É o amor que vai fazer você ser isso tudo e não isso tudo que você usa pra dar essas desculpas pro amor. Porque quando eu sentei no cantinho da cama e você leu seu livro de poesias de quando era criança. Porque quando você ficou nervoso porque queria me dizer que naquele minuto não estava me amando porque você acha que amor é isso além do que você pode. Amor é só o que você já estava podendo. O que você fez com esse pouco que virou nada? Com o muito que poderia virar? Eu aleijada, engessada, roxa, estropiada, quebrada, estou na porta, esperando você, por favor, me ensina, o que fazer, vou fazer o mesmo com o meu. Vou mandar junto com o seu. Nosso amor pro inferno, longe, explodido, nada. E a gente almoçando em paz falando sobre o tempo e as pessoas escrotas e o filme da semana. Bela merda isso tudo, bela merda você, bela merda eu, bela merda todos os sobreviventes que riem e fazem suas coisas e almoçam e falam de filmes. E por dentro o buraco gigante preenchido por antidepressivos, ansiolíticos, calmantes, cervejas, maconhas, viagens e mais reuniões. Pra onde foi o amor? De pé seguimos pra nunca saber, pra nunca responder, pra nunca entender. Pra onde? Você lendo o texto mais lindo da minha vida sobre o último dia morando com seus pais, você achando as moedinhas que o seu pai escondia no jardim quando você era criança, você me contando isso tudo baixinho e eu sentindo tantas milhares de coisas lindas, você falando da merda boiando e a dor dos seus fins de amor, você dormindo com seus cachinhos virados para o meu nariz, você fazendo a piada dos ombrinhos mais altos e mais baixos pra tirar sarro dos homens artistas e burocráticos, você por um mês e tanto amor. Todos os cheiros de todos os seus cantos. E agora eu louca porque não se pode sentir, porque senti sozinha, porque não se pode sentir em tão pouco tempo. Que tempo é esse quando o amor se apresenta tão mais forte e sábio que as regras de proteção? Quem quer pensar em acento flutuante quando se está voando? Quem quer pensar em pouso de emergência quando se está chegando em outro mundo melhor? E agora nada e você nada e tudo nada. O amor no planeta das canetas Bic que somem. O amor mais um como se pudesse ser mais um. O amor da vida de um mês. Você com medo de ser mais um e você único e tanto amor e tão pouco tempo. O que você fez com ele para eu nunca fazer igual? Eu prefiro ser quem te espera na porta pra entender. Eu prefiro ser quem te espera na outra linha pra entender. Eu prefiro ser a louca do jardim enquanto o mundo ri e faz suas coisas. Do que ser quem se tranca nessas salas infinitas suas pra nunca entender ou fazer que não sente ou não poder sentir ou ser sem tempo de sentir ou ser esquecido e finalmente não ser. 
                                                  (Tati Bernardi)

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

O fim de uma história sem fim.


Mal a história começou ser escrita e já trataram de colocar ponto final. Não se termina uma história quando ela está começando a ficar boa, um final mal feito estraga todo o resto. E até que o resto tava bonitinho, palavras de amor pra cá promessas pra lá, flores, chocolates, cartas e um caminhão de sonhos que fora despejado pelo chão, eram sonhos demais, e eles acabaram se perdendo no meio deles, sonharam demais agiram de menos. Agora estou aqui com essa história que não passou do sexto parágrafo, pois algum imbecil tratou de escrever um final ridículo só pra acabar com tudo de uma vez. A história tava tão meiga, tão simples e ao mesmo tempo tão bonita. Ah ela tava bonita! Eu até fiquei emocionada em algumas partes, quer ver quando o mocinho disse para aquela garota o quanto gostava dela, sabe ele usou palavras tão doces; nossa foi tão lindo, ainda mais que algumas lágrimas cintilavam naquele olhar frágil e ao mesmo tempo tão seguro de si. Eu já pensei em amassar essa história e jogar no lixo, já pensei em queimar, mas seria um desperdício dar fim em uma história tão linda por causa de um final mal feito. Então após muito pensar eu decidi guardar esse texto bem escondinho, quem sabe há possibilidade de reescrever o final.
                                                         (paulagrando)


Pena que hoje tudo parece mentira, ou quem sabe um sonho. Sonho. É com isso que nossa história se parece, sabe aquele tipo de sonho que está tudo perfeito e de repente você se vê caindo de um penhasco e acorda com aquela dor no peito?
                                                                         (paulagrando)



Sabem porque Romeu e Julieta são ícones do amor? São falados e lembrados, atravessaram os séculos incólumes no tempo, se instalando no mundo de hoje como casal modelo de amor eterno? Porque morreram e não tiveram tempo de passar pelas adversidades que os relacionamentos estão sujeitos pela vida afora. Senão provavelmente Romeu estaria hoje com a Manoela e Julieta com o Ricardão. Romeu nunca traiu a Julieta numa balada com uma loira linda e siliconada motivado pelo impulso do álcool. Julieta nunca ficou 5 horas seguidas esperando Romeu, fumando um cigarro atrás do outro, ligando incessantemente para o celular dele que estava desligado. Romeu não disse para Julieta que a amava, que ela especial e depois sumiu por semanas. Julieta não teve a oportunidade de mostrar para ele o quanto ficava insuportável na TPM.
Romeu não saia sexta feira a noite para jogar futebol com os amigos e só voltava as 6:00 da manhã bêbado e com um sutiã perdido no meio da jaqueta (que não era da Julieta). Julieta não teve filhos, engordou, ficou cheia de estria e celulite e histérica com muita coisa para fazer. Romeu não disse para Julieta que precisava de um tempo, que estava confuso,querendo na verdade curtir a vida e que ainda era muito novo para se envolver definitivamente com alguém. Julieta não tinha um ex-namorado em quem ela sempre pensava ficando por horas distante, deixando Romeu com a pulga atrás da orelha. Romeu nunca deixou de mandar flores para Julieta no dia dos namorados alegando estar sem dinheiro. Julieta nunca tomou um porre fenomenal e num momento de descontrole bateu na cara do Romeu no meio de um bar lotado. Romeu nunca duvidou da virgindade da Julieta.
Julieta nunca ficou com o melhor amigo de Romeu. Romeu nunca foi numa despedida de solteiro com os amigos num prostíbulo. Julieta nunca teve uma crise de ciúme achando que Romeu estava dando mole para uma amiga dela. Romeu nunca disse para Julieta que na verdade só queria sexo e não um relacionamento sério, ela deve ter confundido as coisas. Julieta nunca cortou dois dedos de cabelo e depois teve uma crise porque Romeu não percebeu a mudança. Romeu não tinha uma ex-mulher que infernizava a vida da Julieta. Julieta nunca disse que estava com dor de cabeça e virou para o lado e dormiu. Romeu nunca chegou para buscar a Julieta com uma camisa xadrez horrível de manga curta e um sapato para lá de ultrapassado, deixando-a sem saber onde enfiar a cara de vergonha. Por estas e outras que eles morreram se amando.
                                              (Martha Medeiros) 

segunda-feira, 8 de agosto de 2011



– Só sei que nós nos amamos muito…
– Porque você está usando o verbo no presente? Você ainda me ama? 
– Não, eu falei no passado! 
– Curioso né? É a mesma conjugação. 
– Que língua doida! Quer dizer que NÓS estamos condenados a amar para sempre? (…) 
– E não é o que acontece? Digo, nosso amor nunca acaba, o que acaba são as relações… 
– Pensar assim me assusta. 
– Por que? Você acha isso ruim?  
– É que nessas coisas de amor eu sempre dôo demais… 
– Você usou o verbo ‘doer’ ou ‘doar’?
(Pausa) 
– Pois é, também dá no mesmo…” 
                                            (Caio Fernando de Abreu)

sexta-feira, 5 de agosto de 2011


Depois de me derreter no calor dos seus abraços, eu ando precisando voltar ao normal. Que venha o frio e o desamor para me solidificar novamente!
                                                                               (paulagrando)

quarta-feira, 3 de agosto de 2011


Hoje eu levantei da cama com certeza que encontraria o amor da minha vida, e bem, eu encontrei. Só que dessa vez a pessoa irá valer a pena, eu tenho certeza. Ela é linda, gostosa, cheirosa, mimosa, sabe cozinhar e adora ler.
Eu passei minha vida inteira em busca desta pessoa e fui encontrar-la da forma mais convencional possível, frente a um espelho. Essa vida, nós faz acreditar que o amor está longe, mal sabemos que o amor tem que começar por nós mesmos. Eu passei a minha vida esperando encontrar um alguém para amar e tudo o que eu precisava era me encontrar para pode assim me amar. Hoje posso dizer que me amo, e você se ama? 
                                                     (paulagrando)

segunda-feira, 1 de agosto de 2011



Quando a gente chora e escreve aquele monte de poesia profunda. Quando a gente se apaixona e tudo mais e enche o saco dos amigos com aquela melação toda. Não fica todo mundo dizendo pra gente parar de tanto drama e se divertir? Poxa, to só obedecendo todo mundo. 
Não é isso que todo mundo acha super divertido? Beber e fumar, e beber, e fazer sexo sem amor, e beber e fumar e dançar e chegar tarde e envelhecer e não sentir nada?

                                      (Tati Bernadi)

domingo, 31 de julho de 2011

Ele deve estar vagando por ai, na busca de novos corações.


Dizem que não devemos correr atrás do amor, pois amor vem até nós; a grande verdade é que ele não vem. Você terá que ir ao encontro dele, não precisa ser correndo, pode ser andando mesmo, pois amor não tem pressa. O amor gosta de nos surpreender, por isso ele vem devagarzinho se escondendo atrás de sonhos, fantasia, desejos e até mesmo atrás de pessoas, porém em qualquer momento ele há de se esbarrar conosco, seja na esquina da Rua Vida com a Saudade ou naquele metrô que segue lotado direto para a Liberdade, não sei aonde o amor vai resolver te encontrar, assim como também não sei quanto tempo demorará para ele esbarrar com você, mas sei que precisas sair por ai vivendo, sem pensar no que podes encontrar pelo caminho, vende-se, e manuseie a vida em um palpitar, sinta a emoção que é o poder viver e siga sorrindo pelas estradas da vida, assim estarás mas perto de encontrar o amor do que você imagina.
                                         (paulagrando)

Porque a única opção que me sobrou foi rezar e pedir a Deus que cuide dele.
                                                  (paulagrando)

quinta-feira, 21 de julho de 2011


“Chora não, menina boba. Era só um garotinho igual aos 345 que têm nas lojas. Que modelo você quer agora? Quer o modelo que fala irado, o que fala maior vibe ou o que fala insano? Ah, mãe, queria um que falasse coisas mais inteligentes e profundas, tem desse? Tem, mas custa um pouco mais caro porque é importado de outro planeta. Nada que dez vezes no cartão não resolva.” 
                               (Tati Bernardi)
Você simplesmente foi embora. Como se eu fosse só mais uma coisa da sua vida cheia de coisas.
                                                        (Tati Bernadi)

Eu não quero mais chorar, dá doendo tudo, corpo, cabeça, coração. Quero meu sorriso de volta. Deu choro, deu. Cadê aquela mulher que se sentia indestrutível? Aonde eu larguei minha armadura?
É eu me despi dos meus medos, dos preconceitos, abro meu coração e acaba nisso, eu já deveria ter me acostumado, é SEMPRE ASSIM. Mas eu tenho orgulho do meu coração, mesmo despedaçado, surrado, quebrado ele ainda tem forças para bater.
                                                            (paulagrando)

quarta-feira, 20 de julho de 2011


Eu ainda não sei como que ainda caiu nesse papo “de vou cuidar de você”, ninguém nunca cuida, sempre tenho que me reerguer sozinha, tirar forças do além para tentar me recompor e seguir meu caminho sem olhar para trás, e eu me pergunto se abandonar-me a minha própria sorte é cuidar de mim. Mas isso é culpa minha que cresci acreditando que quando uma promessa é feita ela tem que ser cumprida, mas ninguém cumpre, ninguém está preocupado com o futuro eles só querem viver o momento, dizem que te amam hoje e amanhã nem lembram quem você é. Que mundo é esse que estamos vivendo, onde nem as promessas feitas à um coração são cumpridas.
                                                             (paulagrando)

quarta-feira, 13 de julho de 2011


Fulano: Você finge que não se importa, mas no fundo eu sei que isso dói.
Ciclano: Mas e dai se dói? Se ta doendo? Ninguém precisa saber das minhas dores, dos meus pontos fracos... Só de lembrar que eles existem é como se toda essa barreira que construí em volta do meu coração não servisse para nada, é como se houvesse um buraco nessa minha tão brilhante armadura, como se o barco da vida estivesse preste a afundar.
Fulano: Para que esconder tanta dor? Tem gente que se importa com você.
Ciclano: Quem se importa comigo sabe que está doendo sem eu mesmo falar, e bem, o resto do mundo está pouco ligando para o que dói o deixa de doer, a bolsa de valores é muito mais importante que os meus sentimentos.
                                                       (paulagrando)

segunda-feira, 11 de julho de 2011


Ele: Mas todo amor tem um prazo de validade.
Ela: Mas se for para viver um amor que vence três dias após ser aberto, melhor nem abrir a embalagem.
                                                                       (paulagrando)

sexta-feira, 8 de julho de 2011

é, o amor chega para todos, até mesmo para mim!


Eu amo o jeito que você me deixa sem graça. Eu amo me perder nas palavras quando tento explicar tudo o que você é pra mim, e estou aqui mais uma vez perdida entre as palavras na tentativa falha de tentar explicar tudo o que você significa e por mais que as palavras fujam nessa hora eu continuo louca de vontade para escrever e assim contar ao mundo como eu fico boba ao seu lado e como você me faz querer crescer e vencer os obstáculos da vida ao seu lado.
Eu também gostaria de ser capaz de descrever os milhares de sorrisos cuja causa - é você, seja ele apenas ao lembrar de você na metade do meu dia ou até mesmo ao te ver chegar, também tem aqueles sorrisos tolos de quando você me olha nos olhos e parece viajar por um mundo de pensamentos só seu.
Se eu conseguisse, nem que fosse em poucas palavras, descrever um quarto do que eu sinto eu ficaria feliz, mas não encontro as palavras certas para nomear os sentimentos, só sei que gosto de você, gosto e pronto. Simples assim. Gosto sem saber direito o porquê, apenas gosto; mesmo que gostar de alguém seja algo complicado. Porque para gostar de alguém você precisa gostar da pessoa por inteiro, precisa gostar das qualidades e amar os defeitos. E eu gosto de você mesmo cheio dos defeitos, meio torto mesmo, com esse seu humor infinito, acho que gosto até do seu dedão, mesmo ele sendo meio estranho e não me importo nenhum pouco se você rói as unhas quando fica nervoso ou se ouve mil vezes aquele CD infernal.
Gostar pode não ser tão simples assim, mas eu continuo gostando de você, mesmo sendo complicado, mesmo com brigas e não me importo em estar correndo o risco de me machucar por que gostar traz riscos, os quais eu estou disposta a correr só para provar que gostar pode ser algo simples.
                                                                         (paulagrando)

domingo, 26 de junho de 2011

É, eu estou amando

E tudo parece perfeito como em um sonho bom, mas o medo continua aqui dentro do meu peito gritando para que eu desista, porém o meu coração grita em um tom autoritário “Insista nisso minha pequena, insista! É ai que pode estar sua felicidade”. 
É coração, caísse em uma grande cilada né? poderia dizer a maior cilada da vida; a cilada do Amar. Bem amigo, estás tão bobo e saltitante como nunca estiveste em toda a sua vida. Coração, você cai em uma grande cilada e quem ganha com tudo isso sou eu, agora tenho um frágil coração para cuidar, e de brinde ainda vejo o sorriso mais lindo do mundo sendo direcionado para mim. Sou eternamente grata ao destino por ter me feito cair nesta cilada, e confesso que amo os efeitos colaterais do amar, pernas bambas, coração acelerado, estomago embrulhado, e não me importo em sentir isso todas as vezes que eu o vejo e me importarei muito menos se tiver que sentir tudo isso para sempre,  por todos os dias da minha vida, porque eu realmente preciso dele na minha vida, completando o meu presente e ajudando-me a traçar o meu futuro, o nosso futuro. E é isso que eu quero para mim! Sabe, é que ás vezes meu pequeno coração rende-se ao medo de acordar em uma bela amanhã e descobrir que tudo isso não passava apenas de mais um sonho, um sonho aonde o meu príncipe escolhe fugir com a princesa errada. 
Por favor que isso eu estou vivendo seja a mais pura realidade e que não acabe ao amanhecer!
                                                              (paulagrando)

quarta-feira, 8 de junho de 2011



Eu não espero que você seja o-grande-amor-da-minha-vida, parei de acreditar nisso… Não quero que você me faça chorar. Não quero que você seja um motivo ruim na minha vida. Você é motivo de sorrisos, razão pra eu acordar num dia de chuva e tomar banho e mudar de roupa porque eu sei que você vai passar aqui… Não quero te odiar. Não quero falar mal de você pros outros. Pras minhas amigas. Quero falar mal de você como quem ama. Pois é, ele nunca lembra de desligar o celular antes de dormir e sempre alguém do trabalho liga. Sabe, eu quero dizer isso. Que o máximo de irritação que você me provoca é me acordar de manhã cedo falando bobagens que parecem ser importantes no celular. Não quero que você me largue. Não quero te largar. Não quero ter motivos pra ir embora, pra te deixar falando sozinho, pra bater o telefone na sua cara. E eu não tenho medo que isso aconteça (eu nunca tenho), eu fiz isso com todos os outros. É só que dessa vez eu queria muito que fosse diferente. Dessa vez, com você, eu queria que desse certo. Que eu não te largasse no altar. Que eu não te visse com outra. Que eu não tivesse raiva. Que você não passasse a comer de boca aberta. Que você entendesse o meu problema com chãos de banheiro molhados pra sempre. Que você gostasse e cuidasse de mim como disse ontem à noite que cuidará. Eu quero que dê certo, não estraga, por favor. Não estraga não estraga não estraga. Posso pôr um post-it na sua carteira? Mesmo que a gente não fique juntos pra sempre. Mesmo que acabe semana que vem. Nunca destrua o meu carinho por você. Nunca esfrie o calorzinho que aparece dentro de mim quando você liga, sorri ou aparece… Mesmo que você apareça na porta de outras mulheres depois de me deixar. Me deixe um dia, se quiser. Mas não me deixe te amando. É só o que eu peço.
                                                            (Tati DIVA Bernadi)

domingo, 22 de maio de 2011

Cérebro: Você vai cair nessa de novo?
Coração: Eu preciso tentar, quem sabe dessa vez seja tudo diferente.
Cérebro: Você sabe que não vai ser diferente.
Coração: Saber eu sei, mas essa maldita esperança é que não quer entender isso.
Cérebro: Quem é essa esperança tal te esperança que sai por ai partindo corações.
Coração: A esperança não parte coração o que parte corações são as falsas ilusões.
                                                         (paulagrando)

terça-feira, 17 de maio de 2011



Como uma viciada eu precisava de mais um pouco de droga, eu precisava me sentir como antes, e assim eu jurava para mim mesma, só um pouco mais até que eu me rendi aos teus encantos. Hoje me sinto morta por dentro e eu culpo a mim mesma por me deixar envolver por essa louca sensação de felicidade. Eu só não entendo como algo que tanto me fez sorrir, me fez suspirar, acabou com a única coisa que realmente fazia-me sentir viva, meu coração, pobre coração é quem sempre sai machucado depois de tanto utilizar dessa maravilhosa droga chamada amor, ela acabou com o que eu tinha de mais valioso, mas ao mesmo tempo me mostrou o céu pena que tão rápido me fez chegar ao inferno.
                                                                              (paulagrando) 

sábado, 7 de maio de 2011

Respira fundo e engole esse choro garota. Você vai superar tudo isso. Pode demorar, mas tudo vai se encaixar, até mesmo todos os pedacinhos do seu coração, só te peço uma coisa, não perca a fé. 
                    (paulagrando)

O mundo real machuca


É uma pena ter que acabar com os olhos inchados por causa de um amor não correspondido. É uma pena ter que suportar um coração magoado e ferido por causa do mesmo amor não correspondido. Eu queria ser capaz de continuar seguindo minha vida fingindo que o mundo lá fora não existe e que você não existe, mas sempre surge aquela dorzinha no peito, aquela saudade filha da mãe que encharca meus olhos e comprime o meu coração me trazendo diretamente para o mundo real, aonde tudo é mais difícil, mais dolorido. Eu só queria voltar a viver aquele eterno conto de fadas que existe dentro de mim. 
                                       (paulagrando)

segunda-feira, 2 de maio de 2011


"Ela sabia que precisava dele. Pelo menos naquela noite chuvosa e sem grandes esperanças. Mas tinha medo da compulsão. De querer ele sempre e sempre e pra sempre. E amanhã e depois. E de dia, e tarde, de madrugada. E não saber digerir tanto amor e tanto amor acabar lhe fazendo mal. Só mais um pouquinho, pensou. Uma lasquinha. Pra dormir feliz. Amanhã era amanhã. Depois ela resolvia…"
                                               (Tati Bernardi)

domingo, 1 de maio de 2011


Eu tenho medo que tudo dê errado de novo.” Há algum tempo atrás essa era a frase que ecoava dentro da minha cabeça, e a única coisa que consigo pensar agora é “caralho por que tinha que dar tudo errado de novo?”. 
               (paula grando)

sábado, 30 de abril de 2011

amor, amor, amor só o doce e velho amor


Descobri que sou apaixonada pelo amor, mesmo morrendo de medo do verbo amar, eu continuo amando o amor. Talvez eu o ame, porque no fundo, talvez ainda exista um pouco de esperança, ainda acredito naquele velho e surrado amor. Não importa quantos corações foram quebrados; o olhar de duas pessoas apaixonadas me faz esquecer disso tudo e só me dá mais esperanças de que o amor ainda existe, pelo menos para aqueles dois seres.  
                                   (paulagrando)

domingo, 24 de abril de 2011


 "Ele não vai te dar um buquê de rosas, não vai lembrar de você todos os dias, não vai deixar o orgulho de lado e admitir errado, nem vai te ligar as 4 da manhã dizendo que pensa em você. Não vai fazer o pedido de namoro dos sonhos, não vai escrever uma musica pra você, nem te dar um beijo na testa antes de embora.
Mas vai te irritar ao máximo só pra dizer que você é linda nervosa, vai implicar com suas amizades por ser possessivo, e quando tiver crise de ciúmes é ele querendo dizer que te quer só pra ele. Vai te fazer chamá-lo de idiota, e vai te beijar quando falar demais. Vai falar algo contigo no msn mesmo sem ter assunto, só pelo prazer de falar com você e talvez diga um “eu te amo” disfarçado quando te chamar de chata. Ele não vai ser o garoto dos seus sonhos, mas vai ser o garoto pra quem você vai sempre está querendo dizer: eu amo você."

quinta-feira, 7 de abril de 2011

coração amaldiçoado, quebrado, despedaçado e um pouco surrado.


Faz duas semanas que eu não derramei mais nenhuma lágrima por você e eu gosto disso é sinal que estou voltando ao normal, estou secando - aos poucos-  mas estou secando. E é só questão de tempo; logo meu coração enrijecerá novamente. Voltando a sua forma normal, a qual nunca deviria ter perdido.
Eu tive culpa nessa história eu me deixei levar, mas fazer o que? eu estava gostando do que eu tinha experimentado, e como uma criança que adora comer doces, fui degustando daquele novo sabor, era uma mistura de amor com carinho com uma pitada e esperança, maldita esperança eu sabia aonde tudo isso me levaria, mas eu me deixei levar, perdi o controle, e quando dei-me conta estava com um coração louco por amor, querendo amor e dando amor, todas as barreiras que construir entorno do meu coração desabaram. E o final você já sabe, coração apaixonado sempre acaba machucado, surrado, quebrado, despedaçado. Ou o no meu caso, continua amaldiçoado. 
                                         (paulagrando)

sábado, 26 de março de 2011


Ela sofria, chorava e se culpava. Ele não se importava, estava alegre e sorridente. Bem, essa história não se trata sobre ela e ele, e sim sobre mim e você ou você e eu, ou quem sabe nós, não! Definitivamente não se trata sobre nós, deixamos de ser nós há algum tempo, agora somos eu e você ou ela e ele, tanto faz, continua a doer do mesmo jeito.
                                                                       (paulagrando)

sexta-feira, 25 de março de 2011

DICA!


http://opoetaanalfabeto.blogspot.com/ um dos melhores blogs, me encantei pelos textos, poesias; espero que vocês também gostem. 

fujo do que me faz mal, encarar de frente faz doer muito mais.


Fujo mesmo, mas fujo para me proteger, proteger meu coração. Eu preciso cuidar de mim, me manter intacta, firme e forte; eu tenho que fazer isso, eu devo isso a mim, e ao meu coração ou o que sobrou dele. Prometo cuidar-me, já que ninguém fará isso por mim.
                                                                        (paulagrando)

quarta-feira, 23 de março de 2011


“A arte de escrever alivia a alma do escritor e ameniza a dor, os problemas e a angustia.” (paulagrando)

segunda-feira, 21 de março de 2011

o que você está fazendo aqui?


O que você está fazendo aqui? Eu deletei você da minha vida há muito tempo atrás, mas por que você insiste em voltar, em me atormentar, me diz o por que.
Você não percebe, mas toda a vez que retorna para a minha vida, você destrói tudo, acaba com o resto de esperança que há em mim, acaba com meus sonhos, meu projetos e planos.
Amor, porque você insiste em voltar? Porque você só aparece quando tudo está se encaixando? Quando minha vida está voltando ao normal? Todo mundo procura por você, todo mundo quer você e o que você ta fazendo na minha vida? Por acaso eu te chamei? NÃO AMOR, EU NÃO TE CHAMEI, EU NÃO QUERO VOCÊ AQUI, ENTENDEU? FICA LONGE DE MIM E DO MEU POBRE CORAÇÃO!
                                                              (paulagrando)

terça-feira, 15 de março de 2011


Um coração morto, gelado, podia ser despedaçado? Parecia que o meu podia.

sábado, 12 de março de 2011


Você queria me conhecer de verdade não é? Então vou me despir do medo, da cobrança e da vergonha, tirarei essa máscara do meu rosto; então olhe para dentro dos meus olhos e procure pela minha alma, assim que encontrar vasculhe tudo, qualquer canto perdido e se divirta ao saborear as minhas dores, os meus fracassos, e as peças que a vida me pregou. Agora você entende porque eu sou assim, a vida me transformou nisso, em um ser que tem medo de amar, de se entregar e de confiar nos outros.
Revire mais um pouco a minha alma, conheça minha essência, agora sou eu que quero que você me conheça.
Quando você quiser sair, feche os olhos bem devagar me abrace forte e diga se você vai ficar ou se vai partir, eu entenderei se você quiser um outro alguém, um alguém que está completo.
                                                   paulagrando

domingo, 27 de fevereiro de 2011


Eu sei que eu mudei, mas você também mudou, assim como todas as coisas que nos cercam. O céu muda de cor e as belas folhas verdes dão lugar a folhas com tom de caramelo, mas nem por isso a beleza delas vai embora, ela permanece ali, só que exposta de uma maneira diferente da habitual. No fundo, no fundo não existe o bom ou mau apenas o seu ponto de vista. 
                          paulagrando

sábado, 26 de fevereiro de 2011

dias, semanas, meses.


Vivendo um dia após o outro e revivendo-o ao deitar no aconchego do meu quarto, repensar meus valores, palavras que deviam ser ditas e outras que deviam ser deletadas.
Errar e continuar, cair e levantar, apenas continuar tentando permanecer de pé, firme e forte como uma rocha, mesmo estando quebrada, destruída por dentro, pois neste mais novo velho mundo não importa como você está por dentro, as pessoas simplesmente não se importam.
                                                  paulagrando

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

“As pessoa são más, acostume-se. Elas acabam com teu coração e no outro dia vem te perguntar se está tudo bem, como se nada tivesse acontecido.”
                                                      (Bethly)

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

“Eu não quero que seus amigos saibam tudo sobre mim, só que quero que quando ninguém saiba onde você está, eles digam que você - provavelmente - está comigo. Eu não quero que tu ame as bandas que eu gosto, só quero que você me ligue pra dizer que ouviu uma música dela, e lembrou de mim. Eu não quero que você me dê presentes o tempo todo, só quero que em um dia aleatório, você chegue com uma margarida roubada do jardim do vizinho. Eu não quero que você fique me abraçando o tempo todo, só quero que você pegue forte na minha mão quando passa algum mal-encarado na rua. Eu não quero que você me ligue o tempo todo, só que mande uma mensagem de madrugada, dizendo que não consegue dormir. Eu não quero que você me leve para onde tu for, só quero que quando você voltar, diga que sentiu saudades. Eu não quero que você saia comigo todos os dias, só quero que em um dia qualquer você me ligue dizendo que está na portaria do meu prédio, me esperando. Eu não quero que você me faça declarações de amor, só quero que eu encontre meu nome escrito em algum canto do seu caderno de história. Eu não quero que eu seja o motivo da sua felicidade, só quero que você me diga que as coisas passaram a dar certo depois que eu apareci. Eu não quero que você me chame de apelidos como amor, linda, fofa, só quero que quando perguntem sobre mim, suas pupilas dilatem e você diga ‘minha pequena’.”              
retirado do tumblr: ladoalado.tumbler.com/